Internacional

Seis dias de confrontos já fizeram um morto em favela do Rio de Janeiro

Operação contra traficantes de droga resultou num polícia morto e na reação dura da força policial

Há seis dias consecutivos que se vive um clima de guerra na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro. A intensa troca de tiros entre as forças policiais e criminosos vem na sequência de uma operação contra o tráfico  de droga liderada pela Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) da Polícia Civil. Um polícia foi morto, outro ferido e uma moradora foi atingida no rosto de raspão.

Tudo começou na passada sexta-feira de manhã quando as forças policiais entraram com cerca de 200 homens no Jacarezinho com a intenção de fazerem cumprir 23 mandatos de prisão. No desenrolar da operação, foram presas 15 pessoas por tráfico de droga e apreendidas 32 motos e 38 carros. A morte de um agente da polícia civil com um tiro no pescoço durante um tiroteio levou à intensificação da operação policial. 

Nos cinco dias seguintes as forças policiais voltaram a realizar operações no mesmo local, sendo recebidas com disparos. Um polícia foi baleado no braço e transportado para o hospital. Um camião das forças de intervenção foi atingido por um cocktail molotov. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, citada pela Agência Brasil, 4100 alunos continuaram sem poder ir às aulas e os comboios não circulam entre algumas estações. Entretanto, os moradores organizaram um protesto contra o clima de guerra, gritando palavras de ordem como “quero paz” e “justiça”, manifestação que acabou reprimida pela polícia com gás lacrimogéneo.