Internacional

Caraíbas. Maria ganha força e ameaça ilhas ainda no recobro

Menos de um mês depois da passagem do Irma, um novo e poderoso furacão ameaça os territórios caribenhos. 

O furacão Maria ganhou força ao longo desta terça-feira, passou à categoria de perigo máximo, a do nível 5, e pelo caminho atingiu territórios poupados pelo seu antecessor, o Irma, como a ilha de Dominica, onde durante a noite causou “devastação generalizada”.

“Até agora perdemos tudo o que o dinheiro pode comprar”, escreveu o primeiro-ministro da ilha, Roosevelt Skerrit no Facebook, ao receber os relatos matinais da passagem do furacão Maria pelo território de 70 mil habitantes. 

Skerrit adiantava esta terça-feira que praticamente todos os telhados das casas em Dominica foram arrancados pelos fortes ventos que chegaram a atingir os 260 quilómetros por hora durante a passagem do Maria.

O primeiro-ministro de Dominica, que, depois da passagem do Irma pelas Caraíbas há menos de um mês, enviou milhões de dólares em ajuda aos territórios afetados, adiantou a dada altura da noite de segunda-feira que o seu próprio telhado voara e que a sua casa estava a inundar, acabando mesmo por ter de ser resgatado.

“Vamos precisar da vossa ajuda”, lançou o líder da pequena ilha, que esta terça-feira recebeu o pior do furacão Maria – Guadeloupe, por exemplo, escapou por pouco, e a ilha francesa de Martinique sofreu alguns estragos. “Os ventos levaram todos os telhados de quase todas as pessoas com quem falei ou com quem de alguma forma entrei em contacto”, adiantou o líder caribenho, que não deu conta de nenhuma morte ou ferimento grave, mas que alerta para a possibilidade de deslizamentos de terra com as inundações dos próximos dias. 

Esta terça-feira, à medida que o furacão entrava e saía da categoria 5 e parecia preservar uma grande parte do seu potencial destruidor, esperavam-se grandes chuvas em muitos territórios caribenhos e temiam-se grandes estragos nas Ilhas Virgem Britânicas e Americanas, que ainda estão no recobro da passagem do Irma. O Porto Rico, que chegou a estar no alvo do Irma mas viu o furacão passar ao largo, sem danos de maior, também estaá no trajeto do Maria. 

“Esperam-se algumas flutuações na intensidade nos próximos um ou dois dias, mas antecipamos que o Maria continue a ser um furacão extremamente perigoso de categoria 4 ou 5 até se aproximar das Ilhas Virgens e do Porto Rico”, comunicava ao final da tarde desta terça o Centro Americano de Furacões.

As maiores preocupações destinavam-se às Ilhas Virgem Britânicas, que foram severamente atingidas pelo furacão Irma e para onde o Reino Unido enviou militares para ajudar com a construção de abrigos e na captura de cem prisioneiros fugidos.O Maria deve aproximar-se do território no começo da noite desta terça-feira, se não se desviar da rota prevista. 

“As pessoas estão preocupadas porque muitos dos abrigos que têm estão enfraquecidos”, disse esta terça-feira o representante das Ilhas Virgem nas Nações Unidas, em Nova Iorque. “Os estragos causados pelo Irma ainda estão lá”, adiantou, dizendo-se preocupado com inundações e deslizes de terras.