Internacional

Este ano morreram 65 jornalistas em todo o mundo

Há ainda dois desaparecidos.


De acordo com o relatório anual da Repórteres Sem Fronteiras, 65 jornalistas foram mortos durante 2017. Este está a ser o ano menos mortífero para os jornalistas nos últimos 14.

Dos 65 jornalistas mortos, 39 foram assassinados e 26 morreram no exercício das suas funções.

O país mais fatal para os jornalistas é a Síria, onde 12 jornalistas morreram desde o início do ano. Segue-se o México, com 11 mortes, Afeganistão, com nove e Iraque, com oito.

Recorde-se que em 2016 registaram-se 79 mortes de jornalistas.

De acordo com o relatório da organização, há ainda dois jornalistas desaparecidos, um no Paquistão e outro no Bangladesh, e outros 54 foram tomados como reféns.