Sociedade

Poluição no Tejo já está a ser investigada pela Agência Portuguesa do Ambiente | Vídeo

Um manto de espuma branco surgiu, esta quarta-feira, no rio Tejo, numa zona junto a Abrantes, e levou a que a Agência Portuguesa do Ambiente intervisse, para averiguar a origem desta sujidade. 

Vários pescadores, autarcas e ambientalistas afirmaram, esta quinta-feira, em Abrantes, zona onde apareceu o manto de espuma, estar seriamente “preocupados” e “indignados” com a poluição do rio Tejo.

Manuel Jorge Valamatos, em declarações à Lusa, adiantou que a "poluição visual" registada pelo manto de espuma branca e pelas águas negras e sujas que correm junto ao açude de Abrantes, permite "constatar mais um episódio degradante de poluição no Tejo", algo que está relacionado com "problemas evidentes ao nível da qualidade e quantidade".

De acordo com o autarca, o manto de espuma não deixa, quase, ver a água do rio e "é um atentado ambiental que a todos preocupa e indigna", defendendo ainda que "importa tomar medidas urgentes para que estes cenários não se voltem a repetir".

A Agência Portuguesa do Ambiente já está no terreno a investigar a origem da espuma.