Desporto

Liga dos Campeões. Ronaldo, o anti-clímax: Real e Bayern nas "meias"

O Real Madrid evitou mais uma reviravolta histórica com um penálti nos descontos: o 1-3 final valeu-lhe o apuramento. Em Munique, o 0-0 bastou aos alemães

Uma eliminatória de cortar a respiração, a que se assistiu ontem em Madrid – na linha do que havia acontecido na véspera em Roma. O encontro entre o Real Madrid e a Juventus, na verdade, começou quase da mesma forma que o Roma-Barcelona: com a equipa em desvantagem na eliminatória a marcar. Logo aos dois minutos, no primeiro ataque à baliza merengue, Mandzukic colocou a Juve a vencer – faltavam dois golos para igualar a eliminatória, depois do 0-3 da primeira mão.

E os dois golos chegaram mesmo. Aos 37’, o mesmoMandzukic aumentou para 0-2 – isto, já depois da vecchia signora ter desperdiçado várias ocasiões, bem como o Real, que até viu um golo ser anulado a Isco por fora-de-jogo (bastante duvidoso). E aos 61’, aproveitando um erro de Navas, Matuidi fez mesmo o terceiro para a Juventus, perante um Santiago Bernabéu incrédulo com o que estava a ver.

O Real teve depois algumas ocasiões, mas o momento decisivo do encontro estava guardado para os descontos: o árbitro considerou que Benatia derrubou Lucas Vázquez e assinalou grande penalidade, perante os protestos veementes de Buffon, que acabou por ver vermelho direto. Na conversão, Cristiano Ronaldo não deu hipóteses a Szczesny e pôs oReal nas meias-finais, onde estará, além do Liverpool e da Roma, também o Bayern Munique, a quem bastou o 0-0 na Baviera depois do 1-2 conseguido em Sevilha.