Opiniao

Em nome da verdade

Correspondendo a um amável e honroso convite do Mário Ramires e, tomado o conselho de bons e verdadeiros amigos, decidi assumir o compromisso de escrever, quinzenalmente, uma coluna no semanário o SOL, em princípio, a partir do primeiro número do mês de setembro próximo.

Fi-lo com a consciência do desafio e do risco, mas também como um contributo para a defesa de um Portugal… livre… democrático… plural… e  Verdadeiro.

Hoje, cada vez com mais frequência, assistimos à mentira… que repetida muitas vezes… para muitos… passa… por ser… a verdade! 

A frequência com que se afirma… «todos pensam…», «todos estão de acordo…», «como todos sabem…», mesmo que estas expressões não  tenham qualquer apego à realidade… constituem todavia um instrumento eficaz para fomentar adesões… porque nunca gostamos de estar contra… todos. 

Afinal de contas, a generalização sempre foi uma barreira ao pensamento lógico…

Os espaços de ‘luta’ são infeliz e manifestamente poucos… mas existem… e, o SOL tem sido e continua a ser - indiscutivelmente - um Espaço de Liberdade, graças à capacidade, sobejamente demonstrada, de se libertar das perigosas amarras do ‘politicamente correto’ e do domínio dos interesses (financeiros e outros).

Assim, aqui estarei, quinzenalmente, privilegiando os seguintes temas e perspetivas:

- Segurança e Defesa (na ótica do militar experiente);

- Política (enquanto cidadão que se julga atento e acredita no futuro);

- Político-Militar (os militares são cidadãos que pensam e devem pensar).

Fá-lo-ei apontando casos, situações e atualidades; sempre que achar oportuno, repondo a verdade, mas, sustentado a minha intervenção. em factos, provas e documentos.

Direi «não»… reagirei ao «acho que…» e «parece-me que…», sempre dentro do quadro de valores, princípios e referências em que acredito, e que pratico.

Jamais tolerarei a Inveja, a Incompetência e a Ingratidão

Direi o que entendo dever ser dito, escrito e assumido.

Com pretensiosismo e alguma imodéstia confessada, o título… ‘Em Nome da Verdade’ é um compromisso que assumo perante o leitor de que o farei com rigor e objetividade, tentando ser claro e simples, mas também oportuno.

Peço-vos paciência para me lerem, mas também para me criticarem sempre que considerarem justo e formativo.

Todos precisamos de refletir… de nos questionarmos… de questionar os outros… são as mentes jovens, inquietas e independentes que pretendo estimular... é também com elas que pretendo aprender.

 

Salgados, 15 de julho de 2018

 

*Major-General (Reformado)