Desporto

Inglaterra. Já há quem aposte que Mourinho não chega ao Natal

A derrota do Manchester United no terreno do modesto Brighton (3-2), mas sobretudo a péssima exibição da equipa trouxeram à tona todas as críticas feitas ao treinador português no passado recente. Para muitos, Mourinho está “desatualizado” e com um discurso completamente desajustado do que é – ou deveria ser – a realidade dos red devils

A entrada do Manchester United na Premier League 2018/19 até foi triunfal (vitória caseira por 2-1 sobre o Leicester de Ricardo e Adrien na primeira jornada), mas ao segundo jogo voltaram os fantasmas do passado recente. O desaire no terreno do modesto Brighton (3-2), com uma exibição terrível dos red devils, deu o combustível que faltava aos críticos de José Mourinho – que já vão sendo bastante numerosos.

Lee Sharpe, antigo avançado internacional inglês que representou o United durante nove temporadas, foi o mais contundente. “Eu estou à espera que ele seja despedido antes do Natal!”, disparou, em declarações à “Sky News”, completando depois a ideia: “A atitude que ele tem não pode continuar, não nos está a levar a lado nenhum e as pessoas que estão à volta dele têm de lhe dizer isso. Continua a lamentar-se sobre os jogadores que tem e não tem, ignora toda a gente e continua igual. Parece cansado e isso está a refletir-se nas exibições da equipa. Precisamos de mudar.”

Graeme Souness, figura mítica do Liverpool e da Escócia (e que passou pelo Benfica como treinador entre 1997 e 1999) e hoje um dos mais reputados comentadores desportivos britânicos, também não foi brando. “É a equipa mais medíocre que o Manchester United teve em 32 anos [desde que Alex Ferguson chegou ao comando técnico da equipa, em 1986]. Não têm nada neles. Não têm presença, parece que não há nenhum líder dentro do campo”, atirou.

 

Zidane à espreita Nas bancadas do Estádio Falmer, um homem não conseguia esconder a frustração: Ed Woodward, diretor executivo do Manchester United, que correu para o balneário assim que o encontro terminou para dar um raspanete aos jogadores... sem esperar por Mourinho, que falava na habitual “flash-interview”. Uma intervenção onde acabou por responder de forma indelicada à jornalista que o questionou sobre a aparente falta de química entre os jogadores dentro do campo: “Você deve ser uma grande profissional para conseguir perceber isso da bancada!”

Uma resposta que não caiu bem no seio da opinião pública desportiva britânica e que contribuiu ainda mais para fragilizar a posição do técnico português no comando do Manchester United. A verdade é que já desde o início do mês que Mourinho lidera em todas as casas de apostas num item pouco favorável: o do primeiro treinador a ser despedido na Premier League esta temporada. E a votação disparou depois do encontro com o Brighton: nas 24 horas seguintes, mais de 78 por cento das apostas efetuadas recaíram sobre si. “Há claramente fricção entre ele e a equipa. A forma como fala das transferências falhadas... vai ter sorte se conseguir aguentar o emprego até ao Natal, mas uma derrota contra o Tottenham pode bastar para ser despedido logo à terceira semana da Premier League”, referiu George Elek, porta-voz da casa de apostas Oddschecker. A liderar a corrida para próximo treinador dos red devils, refira-se, está Zinedine Zidane, sem emprego desde o fim da última temporada, onde guiou o Real Madrid à conquista da terceira Liga dos Campeões consecutiva.

 

Pogba a pensar no Barcelona Às críticas sobre o estilo de jogo preconizado por Mourinho – considerado por muitos já como ”desatualizado” – e o seu discurso de constante lamentação sobre a falta de reforços e as lesões no plantel, bem como as tentativas vãs de colocar pressão nos adversários, juntam-se agora os rumores de que o técnico luso terá perdido mão no balneário e encetado conflitos com vários jogadores.

No centro das últimas discussões está Pogba, a quem Mourinho até deu esta época a braçadeira de capitão. A imprensa inglesa garante que treinador e médio estão de costas voltadas e que o campeão do mundo pela França poderá mesmo abandonar o clube ainda neste mercado de transferências – ou seja, até ao próximo dia 31, com o Barcelona a surgir como principal candidato ao concurso do jogador gaulês. Mido, antigo internacional egípcio que tinha como empresário Mino Raiola, precisamente o agente de Pogba, revelou ontem acreditar que o empresário “vai aconselhar Pogba a sair e vai procurar outro clube para ele”. “O Mino é assim. Aconteceu comigo, com o Zlatan [Ibrahimovic], o Maxwell, o Balotelli e muitos outros. Quando tens um problema com o clube, ele não é o tipo de empresário que tenta resolver o problema: prefere procurar-te outro clube”, explicou Mido, completando: “Mourinho é o tipo de treinador que se serve dos média para conseguir uma reação dos jogadores, mas não resulta da mesma forma com toda a gente. Alguns vão melhorar, mas com outros pode resultar de uma forma negativa e creio que o Pogba é um desses casos. Se o ouvirmos, se o virmos jogar, vemos facilmente que ele não está feliz.”

Ainda na última semana, recorde-se, Mourinho desmentiu qualquer atrito com Pogba, garantindo mesmo que nunca tinha estado tão contente com o médio – que contratou no verão de 2016 à Juventus a troco de 105 milhões de euros. O histórico do técnico luso, todavia, fala por si: no Real Madrid, entrou em conflito com Iker Casillas, Pepe, Ricardo Carvalho ou Cristiano Ronaldo, tendo também registado algumas discussões com jogadores no Chelsea e mesmo no FC Porto – Vítor Baía chegou a treinar com a equipa B no início da temporada 2002/03.