Sociedade

CGTP apresenta queixa contra corticeira que terá castigado trabalhadora

"Não estás sozinha contra o poder arrogante e prepotente"

O líder da CGTP, Arménio Carlos, anunciou esta sexta-feira que vai apresentar no Ministério Público uma queixa contra a corticeira Fernando Couto, por considerar que esta exerce "tortura psicológica e assédio moral" sobre a funcionária reintegrada sob ordem do tribunal.

Arménio Carlos esteve esta manhã numa manifestação de solidariedade com a trabalhadora, que juntou dezenas de representantes sindicais.

A posição da CGTP vem na sequência da denúncia do Sindicato dos Corticeiros, que acusa a corticeira de “terrorismo psicológico” e de colocar Cristina Tavares de “castigo”, obrigando-a a carregar e a descarregar a mesma palete cerca de 30 vezes.

Trata-se de uma “situação inadmissível”, adianta Arménio Carlos, acrescentando que "a trabalhadora não está a produzir, porque a empresa não deixa e está a desgastá-la e a torturá-la psicologicamente".

Para o sindicalista, "situações como está não podem continuar a existir no país", e "o Ministério Público deve ter uma intervenção rápida".

Por último, o líder da CGTP deixou uma palavra de solidariedade à trabalhadora, dirigindo-se a Cristina Tavares: "Não estás sozinha contra o poder arrogante e prepotente". "Não te vamos deixar sozinha”.