Internacional

Interpol questiona China sobre desaparecimento de um dos seus dirigentes

Mulher do presidente da organização na China deixou de ter notícias do marido desde que saiu de França com destino àquele país.


A Interpol endereçou um pedido formal às autoridades chinesas para um esclarecimento sobre o desaparecimento de Hongwei Meng, o presidente da organização na China.

A organização policial internacional fez saber neste sábado que solicitou, através dos seus canais oficiais, informações às autoridades da China sobre a “situação do presidente da Interpol”. 

“A secretaria-geral aguarda com expectativa uma resposta oficial das autoridades da China sobre as preocupações com o bem-estar do presidente”, lê-se na nota divulgada no site da organização.

A mulher de Meng diz ter perdido o contacto com o marido desde que este deixou Lyon, cidade francesa onde a Interpol tem a sua base, rumo à China, no final do mês de setembro. 

Também em França foi iniciada uma investigação sobre o caso, com as autoridades a indicarem que Hongwei Meng, que além de dirigente da Interpol é membro do Partido Comunista Chinês, embarcou na viagem e chegou ao destino final: a China.

Os comentários estão desactivados.