Tecnologia

O último aviso de Stephen Hawking sobre o futuro da humanidade

Os textos do físico apontam para a criação de uma super-raça modificada geneticamente que irá acabar por destruir a humanidade

O professor Stephen Hawking deixou um conjunto de artigos onde prevê a criação de uma raça de super-humanos criada pela alteração do ADN. Segundo o físico que faleceu em março deste ano, as elites não vão resistir a manipular o seu próprio ADN e dos seus filhos para aumentar a memoria, a resistência à doença, as habilidades cognitivas e a longevidade.

O físico acreditava que os avanços na engenharia genética responsável pela criação desta super-raça vão acabar por destruir o resto da humanidade que não terá capacidade de evoluir tão rapidamente.

“Estou certo de que durante este século as pessoas vão descobrir como modificar tanto a inteligência como os instintos, tal como a agressão. Vão ser criadas leis contra a engenharia genética em humanos. Mas algumas pessoas não vão ser capazes de resistir à tentação de melhorar as características humanas como a memória, a resistência a doenças e a longevidade da vida”, escreveu Hawking num conjunto de estudos que vão ser publicados esta terça-feira.

Quanto aos humanos que não tenham capacidade de recorrer à alteração genética vão ficar para trás. “Assim que os super-humanos aparecerem, vai haver problemas políticos significativos com os humanos melhorados, porque não será possível competir”, explica acrescentando que os restantes humanos “vão morrer, ou deixar de ter importância. Em vez disso, vai haver uma raça de seres auto-desenhados que vai melhorando a um ritmo acelerado”.

As previsões de Hawkings têm por base técnicas já existentes que têm criado controvérsia entre a comunidade científica. Os textos do físico serão publicados esta terça-feira.