Tecnologia

Comer frango sem matar aves vai ser possível em breve

Uma empresa norte-americana está a desenvolver uma carne “sintética” que resulta da multiplicação das células

São muitas as tentativas de tornar a alimentação humana mais sustentável e menos cruel para os animais. E, com base nessa ideologia, uma empresa norte-americana está desenvolver uma carne de frango sem ter de se matar uma única ave.

Esta carne é produzida pela Just e resulta da multiplicação, em laboratório, de células animais. À BBC, a empresa explica que são necessários dois dias para produzir, por exemplo, um nugget de frango. A carne é produzida num reator biológico onde é usada uma proteína para estimular a multiplicação das células.

A empresa, que pretende colocar a carne no mercado o mais rapidamente possível, garante que a carne produzida em laboratório não é geneticamente modificada e nem tem qualquer antibiótico para que se desenvolva mais rápido.

Quando ao mercado, a Just está já a estabelecer contactos com os vários continentes do mundo de forma a que a produção possa ser em massa, o que reduz os custos. “Há vários países na Ásia e na Europa com os quais estamos a conversar", disse Josh Tetrick, CEO da empresa à BBC. “Nós já provámos e os resultados são impressionantes. A pele era crocante e a carne saborosa, embora a textura fosse mais macia do que a de um 'nugget', vendido em cadeias de 'fast food'”

No entanto, o projeto tem um desafio pela frente: a legislação norte-americana. Enquanto a maior parte dos alimentos é gerida pela Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA na sigla inglesa), a carne está a cargo do Departamento de Agricultura. Josh Tetricl lamenta a “falta de clareza” na regulamentação.