Sociedade

Maia é a primeira cidade portuguesa a ter passadeiras 3D

O conceito foi criado no Japão e Portugal é o terceiro país a testá-lo


Portugal vai testar a colocação de passadeiras 3D para fazer os condutores reduzirem a velocidade. O conceito foi criado no Japão, já foi implementado em Ísafjorour, na Islândia, e vai ser testado no município da Maia.

A ideia é criar uma ilusão de ótica que faz com que as passadeiras pareçam ser 3D, o que levará os condutores a reduzir a velocidade. "Trata-se de uma solução simples, quase um 'ovo de Colombo', na qual vemos potencialidades no incremento da segurança rodoviária, particularmente na defesa dos peões. Por isso esta solução ficará em teste e se a sua eficácia der provas no terreno eventualmente passará a ser usada noutros locais do concelho", disse António Silva Tiago, presidente da Câmara, à Lusa.

Para já estão previstas duas passadeiras 3D: uma em frente ao Colégio Novo da Maia, em Milheirós, que já foi colocada no sítio, e outra, ainda em fase de avaliação, no perímetro da nova Cidade Desportiva da Maia.

"Vamos avaliar o impacto e se funcionar pretendemos adotar o conceito em mais locais do concelho", acrescentou o autarca reforçando que o objetivo principal é “aumentar a segurança rodoviária”.