Sociedade

Imigrante ilegal parte nariz a polícia mas sai em liberdade

Guineense está apenas sujeito a apresentações na esquadra, juiz considerou que não se justificava prisão preventiva

O homem que fraturou o nariz a um agente da PSP, dentro de uma esquadra em Lisboa no domingo, ficou em liberdade, estando apenas sujeito a apresentações quinzenais na esquadra.

O guineense tem cadastro criminal, com diversos processos abertos pela PSP por ofensas à integridade física e furto, além de ter em seu nome uma ordem de expulsão emitida pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), por estar ilegal em solo nacional.

No entanto, o juiz de instrução criminal, que o ouviu em sede do primeiro interrogatório judicial sobre a agressão ao polícia, considerou que não se justificava a medida de coação mais gravosa de prisão preventiva.

O agente da polícia agredido foi transportado para as Urgências do Hospital de São José, em Lisboa, a sangrar do nariz e teve de ser submetido a uma intervenção cirúrgica, devido à fratura no osso do nariz.

O polícia terá sido agredido depois de ter acompanhado o cidadão guineense à esquadra, por suspeita do furto de doze bicicletas, encontradas na casa devoluta onde o homem pernoitava.