Sociedade

Polícias e agentes manifestam-se à frente da Assembleia

A força policial para segurança do edifício foi convidada a juntar-se aos manifestantes

"Oh Costa, basta de empurrar, a segurança não se faz a brincar", gritaram os polícias e agentes que hoje se manifestam em Lisboa. 

Eram cerca das 19h45 quando os cerca de dez mil elementos das forças forças e serviços de segurança sobretudo da PSP e da GNR, segundo apurou o SOL no local, percorreram as ruas entre a Praça do Comércio e a Assembleia da República.

Entre as palavras de ordem como "Cabrita o que é isto? Um país seguro e os polícias nisto"e "Polícias Unidos Jamais serão Vencidos", cantaram ainda o hino nacional.

À porta da Assembleia os elementos da Unidade Especial da Polícia (UEP)  que faziam parte da segurança do edifício foram convidados a participar na manifestação por parte dos manifestantes, "Juntem-se a nós", gritavam.

No entanto, o gradeamento à volta da assembleia não foi suficiente para impedir os polícias e manifestantes que, depois de o derrubarem, colocaram-se no lugar das grandes, ordeiramente. 

Os organizadores do protesto Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança querem com isto entregar ao presidente da Assembleia da República uma moção onde demonstram o desagrado face a várias políticas do governo como a falta de efetivos e de investimento, desbloqueamento de carreiras, a contagem do tempo em que as carreiras estiveram congeladas e o reconhecimento.