Internacional

Novos dados sobre as ossadas encontradas na Embaixada do Vaticano

A investigação avança e a tese de que se trata do corpo de Emanuela Orlandi é sustentado

Na passada quarta-feira, foram encontrados restos mortais na Embaixada do Vaticano, em Roma. O Vaticano avançou que se podia tratar das ossadas de Emanuela Orlandi, filha de um funcionário, que desapareceu em 1983. A polícia confirmou esta sexta-feira que o esqueleto pertence a uma mulher baixa, o que reforça que pode pertencer a Orlandi.

Os ossos foram descobertos por quatro homens, enquanto estes trabalhavam em obras de remodelação da embaixada. O caso foi logo direcionado para a polícia italiana, que está a analisar os restos mortais.

Segundo o jornal El Pais, na próxima semana já poderão ser conhecidos dados mais concretos sobre as ossadas, como a idade e provavelmente a data da morte. As autoridades são da opinião de que se trata de um homicídio voluntário, sendo que a sepultura sugere que houve uma intenção de ocultar o sucedido.  

As autoridades suspeitam que se trate do corpo de Emanuela Orlani, que desapareceu quando tinha quinze anos, depois de sair de uma aula de música, sem deixar rasto. Este é um dos casos mais misteriosos a envolver o Vaticano.