Tecnologia

A sanita do futuro não tem água nem ligação à rede de saneamento

O projeto foi apresentado em Pequim e pretende melhorar as condições de saneamento dos países mais pobres

Bill Gates, fundador da Microsoft, apresentou esta quarta-feira um novo modelo de sanita que não necessita nem de água nem de ligação aos sistemas de saneamento porque tem a capacidade de transformar os dejetos em fertilizante.

A apresentação do modelo decorreu em Pequim, numa exposição dedicada a novas soluções sanitárias. “Esta exposição apresenta, pela primeira vez, tecnologia e produtos de saneamento descentralizados e totalmente novos, e prontos a serem comercializados", disse Gates, em comunicado.

O modelo, que segundo o multimilionário poderá vir a diminuir o número de crianças que morrem nos países mais pobres, está já a ser testado na cidade de Durban, África do Sul, onde estão também em curso outros modelos que se alimentam a energia solar.

O protótipo é o resultado de um investimento de 200 milhões de euros desde 2011 feito pela fundação que o filantropo e a sua mulher fundaram.

Jim Yong Kim, presidente do Banco Mundial, identificou como uma das prioridades para a sua organização o saneamento e, por isso, vai juntar-se à Fundação Bill e Melinda Gates para fazer com que todas as partes do mundo possam ter instalações sanitárias seguras. "Os sistemas que se podem difundir com rapidez e proporcionar um saneamento seguro e sustentável às comunidades são fundamentais para a qualidade de vida e desenvolvimento do capital humano", disse Yong Kim em comunicado.