Internacional

Governo dinamarquês trava exportações de armas para Arábia Saudita

Pela "situação já terrível no Iémen e o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi", diz ministro dinamarquês

A Dinamarca suspendeu as exportação de armas e equipamentos militares para a Arábia Saudita, na sequência do assassinato de Jamal Khashoggi, colunista do Washington Post, e em resposta ao envolvimento saudita no conflito no Iémen, no qual já dezenas de milhares de pessoas morreram.

O ministro das Relações Exteriores dinamarquês, Anders Samuelsen, anunciou esta quinta-feira que "com a contínua deterioração da situação já terrível no Iémen e o assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, estamos agora perante uma nova situação", cita a agência Reuters

A Alemanha também suspendeu a emissão de licenças de exportação de armas e suspendeu todas as vendas de armas. Já a França afirmou que vai determinar em breve quais as sanções a serem aplicadas pelo assassinato de Khashoggi no consulado saudita em Istambul no mês passado.

Por seu turno, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, admitiu pela primeira vez que a coroa saudita poderia ter conhecimento da morte do Jamal Khashoggi no entanto garante que vai manter relações com o país.