Sociedade

Campus da Justiça. Os cuidados da PSP para os julgamentos

O SOL publica na integra a investigação publicada na edição do i desta quinta-feira.


Não há risco zero

Ao i fonte oficial da PSP garante que estuda qualquer julgamento antes de dar uma resposta: “Não se inicia nenhuma acção de julgamento ou de primeiro interrogatório sem que os responsáveis policiais previamente analisem as variáveis de segurança em questão”. A mesma fonte acrescenta ainda que a “segurança dos operadores judiciários nunca esteve em risco”, ainda que admita: “Não há risco zero, mas há um conjunto de acções que são adoptadas que o minimizam e que constituem padrão de procedimento na acção de comando.” 

Casos mediáticos

E sempre que um caso é mais complexo ou mediático são pedidos reforços, esclarece a PSP. “Em todos os casos de julgamentos com maior número de detidos, mediáticos ou outros de natureza especial, é sempre feita prévia avaliação de risco, sendo pedidos reforços frequentemente”.

Prevenção

Na resposta ao i é ainda referido que nunca se registou qualquer episódio grave e que isso não é sorte, é trabalho de prevenção: “Nunca aconteceu um incidente grave e não se trata de uma questão de mero acaso, mas da análise de risco, estudo da situação e do pedido de reforços, sempre que estejam em causa situações de risco”.


 

Os comentários estão desactivados.