Sociedade

Mergulhadores nas operações de resgate em Borba enfrentam "dos piores pesadelos" da atividade

“Qualquer mergulhador que entre naquele plano de água está sujeito a ficar preso"

As operações de resgate em Borba duram há vários dias, depois do incidente da última segunda-feira. Agora, de acordo com o coordenador da Unidade de Salvamento Aquático do Distrito de Portalegre, que participa nas operações no local, os operacionais envolvidos nas ações subaquáticas na pedreira enfrentam um “dos piores pesadelos” da atividade de mergulho.

De acordo com Simão Velez, citado pela agência Lusa, os mergulhadores "enfrentarão, realmente, dos piores pesadelos que podemos ter na atividade de mergulho".

A Unidade de Salvamento Aquático do Distrito de Portalegre é composta por 24 operacionais de várias corporações de bombeiros do distrito e, segundo o coordenador, tem sido mobilizada por dia uma equipa de cinco ou seis mergulhadores para participar nas operações.

Simão Velez referiu ainda que a operação é "muita delicada e complexa" e que, dentro da pedreira, devido à irregularidade do terreno e à profundidade "não há visibilidade" dentro de água.

Em declarações à Lusa, o coordenador explicou ainda que "existiam profundidades que iam até aos 30 metros", mas que com o deslizamento de terras não se sabe se as zonas mais profundas terão ficado preenchidas, reduzindo a profundidade.

A zona mais funda do plano de água é a que está "mais próxima da parede que abateu", mas por questões de segurança ainda não houve condições para validar a área.

“Qualquer mergulhador que entre naquele plano de água está sujeito a ficar preso, [se tal acontecer] temos que recorrer a uma manobra de apoio para o libertar", disse, relembrando que há um conjunto de estruturas e de equipamentos que foram arrastados e estão no plano de água, como postes elétricos, que estavam junto à estrada e partes de vedação.

Neste momento, Simão Velez refere que o objetivo dos operacionais da unidade é  "retirar os corpos das vítimas para dar conforto às famílias e permitir que façam as honras fúnebres".

Recorde-se que além de dois mortos confirmados, há três pessoas dadas como desaparecidas. Um dos corpos já foi retirado do local e esta sexta-feira outro foi localizado.