LifeStyle

Dolce e Gabbana acusada de “racismo”

Os chineses sentem-se ofendidos e a China é um dos principais consumidores da marca

Plataformas online chinesas de compras já retiraram dos seus sites os produtos da marca de alta-costura Dolce & Gabbana, devido à polémica provocada pelos recentes anúncios em que a marca é acusada de “racismo”.

Num dos anúncios da marca, uma modelo da China aparece a tentar comer massa e pizza com ‘chopstcks’ – em português, pauzinhos – e apresenta ter dificuldade, ao mesmo tempo que o narrador pergunta “é muito grande para ti?”.

A campanha foi levada como um insulto na China, levando ao cancelamento de um desfile em Xangai.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

#DGlovesChina ? More like #DGdesperateforthatChineseRMB lol.  In a bid to further appeal to luxury's covetable Chinese consumers, @dolcegabbana released some hella offensive “instructional” videos on the usage of chopsticks.  Pandering at it's finest, but taken up a notch by painting their target demographic as a tired and false stereotype of a people lacking refinement/culture to understand how to eat foreign foods and an over-the-top embellishment of cliché ambient music, comical pronunciations of foreign names/words, and Chinese subtitles (English added by us), which begs the question—who is this video actually for?  It attempts to target China, but instead mocks them with a parodied vision of what modern China is not...a gag for amusement. Dolce & Gabbana have already removed the videos from their Chinese social media channels, but not Instagram.  Stefano Gabbana has been on a much-needed social media cleanse (up until November 2nd), so maybe he kept himself busy by meddling with the marketing department for this series. Who wants to bet the XL cannoli “size” innuendos were his idea? Lmao. • #dolceandgabbana #altamoda #rtw #dgmillennials #stefanogabbana #shanghai #chinese #italian #cannoli #meme #wtf #dumb #lame #chopsticks #foodie #tutorial #cuisine #italianfood #asianmodel #asian #chinesefood #dietprada

A post shared by Diet Prada ™ (@diet_prada) on

Após o anúncio, surgiram também publicações no site da marca por parte do dono da mesma, Stefano Gabbana, ao qual foi atribuído um valor racista.

"Pedimos desculpa por qualquer transtorno causado por essas publicações falsas. Temos o maior respeito pela China e pelo povo chinês", disse a marca de alta-costura, com a justificação de que o site tinha sido pirateado.

Agora, as principais plataformas chinesas de compras anunciaram um boicote à Dolce & Gabbana. Ao Financial Times, um porta-voz da Secco referiu que os anúncios se tratam de “uma questão de racismo e a Secco não pode trabalhar com uma companhia sem integridade e moral".

Esta sexta-feira, a Dolce & Gabbana emitiu um comunicado através do jornal The South China Morning Post onde pede desculpa, mais uma vez, pelo "mal-entendido sobre a cultura chinesa".

Relembrar que a China é um país que tem um papel bastante importante nas vendas da Dolce & Gabbana, segundo a BBC.