Sociedade

Bolsas de habitação para arrendar em Arroios e na Madragoa

Medida sai do diagnóstico feito através da linha SOS Despejos.

"Estão entre estas [medidas] a abertura de uma nova bolsa no centro histórico, abrangendo outras áreas, como Arroios e Madragoa", avançou à Lusa o gabinete da vereadora da Habitação, Paula Marques. De acordo com um balanço dos primeiros seis meses de atividade da linha, a maioria dos contactos veio de residentes em Arroios, com 23 casos, e nas freguesias do centro histórico, como Santa Maria Maior, com 15 casos, Campo de Ourique e Penha de França, com 13 casos cada, e Penha de França, 12, num total de 187 contactos.

Esta segunda bolsa juntar-se-á, assim, ao concurso para a atribuição de 110 habitações a preços acessíveis a residentes nas freguesias de Santa Maria Maior, Santo António, São Vicente e Misericórdia, na zona histórica da cidade, que foi aberto em maio deste ano, dirigido especificamente aos moradores em risco comprovado de perda de habitação.

De acordo com o presidente da Câmara, Fernando Medina, esses 110 fogos do programa Habitar o Centro Histórico representaram um investimento total de dois milhões de euros. O programa, criado com património municipal, pretende responder à pressão imobiliária que atinge estes moradores desde a entrada em vigor da "lei das rendas" e o crescimento do turismo. A linha SOS Despejos tinha como objetivo não só dar informação aos munícipes, como "obter conhecimento das diversas ocorrências na cidade, percebendo qual a sua distribuição no território, de forma a estruturar novas medidas e apoiar opções políticas no âmbito do Programa Local de Habitação".

A linha SOS Despejos tinha como objetivo não só dar informação aos munícipes, como "obter conhecimento das diversas ocorrências na cidade, percebendo qual a sua distribuição no território, de forma a estruturar novas medidas e apoiar opções políticas no âmbito do Programa Local de Habitação".