Economia

Fidelidade e Multicare condenadas a coimas de 12 milhões de euros

"Práticas restritivas da concorrência de repartição de mercados através da alocação de clientes, no segmento dos seguros contratados por grandes clientes empresariais nos sub-ramos acidentes de trabalho, saúde e automóvel" são os motivos

A Autoridade da Concorrência (AdC) condenou as duas seguradoras - Fidelidade e Multicare ao pagamento de multas no valor de 12 milhões de euros. Em causa estarão "práticas restritivas da concorrência de repartição de mercados através da alocação de clientes, no segmento dos seguros contratados por grandes clientes empresariais nos sub-ramos acidentes de trabalho, saúde e automóvel", afirma em comunicado a AdC.

Para o valor da coima, a AdC explicou que levou em conta a colaboração da Fidelidade e da Multicare e o facto de "não terem sido quantificadas vantagens específicas em termos de potenciais lucros supracompetitivos decorrentes das práticas concertadas", pode ler-se. 

Em junho e julho, a AdC realizou também buscas e a apreensão em instalações das empresas visadas, na Grande Lisboa, no âmbito do Programa de Clemência, onde revelou as que as práticas de cartel se iniciaram em 2010 e envolveram cinco seguradoras. "Em junho e julho desse ano, a AdC realizou diligências de busca e apreensão em instalações das empresas visadas, localizadas na Grande Lisboa, tendo adotado em 21 de agosto de 2018 uma Nota de Ilicitude (comunicação de acusações) contra as seguradoras Fidelidade, Lusitania – Companhia de Seguros, Multicare, Seguradoras Unidas, S.A. (antigas Tranquilidade e Açoreana) e Zurich Insurance PLC – Sucursal Portugal por constituírem um cartel", explica a AdC. "Relativamente às restantes três empresas e restantes titulares de órgãos de administração ou direção das empresas contra os quais foi adotada a Nota de Ilicitude, o processo prossegue".