Internacional

EUA abordam Ali Khamenei para negociações

Um dignitário iraniano diz que a tentativa de aproximação ocorreu no Afeganistão. Os iranianos já terão recusado oitro vezes um encontro entre Khamenei e Trump.

Um conselheiro próximo do Ayatollah Ali Khamenei, o Líder Supremo do Irão, afirmou que tinha sido abordado por representantes dos EUA, com o objetivo de iniciar negociações entre os dois países, afirmou a agência de notícias iraniana Tasnim.

"Durante a minha visita a Cabul, no último mês, os Americanos pediram para negociar" disse o secretário do Conselho de Segurança Nacional do Irão, Ali Shamkhani, sem específicar o que os EUA pretendiam discutir em particular. 

As tensões entre o Irão e os Estados Unidos têm aumentado desde Maio deste ano. A escalada deu-se depois do presidente dos EUA, Donald Trump, ter saído do acordo de 2015, que regulava o desenvolvimento nuclear de Teerão, e ter voltado a aplicar sanções à República Islâmica. 

As negociações pedidas pelos EUA poderão-se referir à regularização de relações diplomáticas ou à discussão de trabalho conjunto no Afeganistão, após a saída de parte do contigente americano. Já em 2001, o Irão participou na estruturação do Estado afegão, após a uma coligação liderada pelos EUA ter derrubado os Talibãs. O Irão também tem laços com mílicias xiitas que combatem ativamente os Talibãs. 

As autoridades iranianas afirmam já ter recusado pelo menos oito tentativas dos EUA de um encontro entre Khamenei e Trump. "Nunca nos vergaremos aqueles que falam a língua das sanções e constroem muros em vez de pontes". Afirmou o porta-voz do ministério dos Negócios Estrangeiros, Bahram Qasemi, esta segunda-feira.