Internacional

Filho de vice-presidente do Brasil é promovido no Banco do Brasil e passa a ganhar o triplo

A forma como Antônio Mourão subiu na carreira foi considerada pelos funcionários do Banco como “inusual”

Depois de Jair Bolsonaro nomear Rubem Noaves como presidente do Banco do Brasil, surge a primeira polémica.

Um dia depois da sua tomada de possa no Banco do Brasil, na terça-feira, Antônio Hamilton Rossell Mourão, filho do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, foi promovido a assessor da presidência do Banco com um salário de 36 mil reais, cerca de nove mil euros, o que equivale ao triplo do que antes recebia.

"Sem comentários, possui mérito e foi duramente perseguido anteriormente justamente por ser meu filho", referiu Hamilton Mourão acerca do filho, citado pela Agência Estado.

Depois de ser normeado por Bolsonaro, Rubem Novaes garantiu que fará "os brasileiros sentirem-se honrados com uma gestão eficiente, transparente e honrada".

De acordo com a Folha de S. Paulo, a forma como Antônio Mourão subiu na carreira foi considerada pelos funcionários do Banco como “inusual”, uma vez que a ascensão costuma ser progressiva.

Numa nota citada pelo mesmo jornal, o presidente do Banco do Brasil reagiu à situação: “Antônio é de minha absoluta confiança e foi escolhido para minha assessoria, e nela continuará, em função de sua competência. O que é de se estranhar é que não tenha, no passado, alcançado postos mais destacados no Banco”, referiu.