Sociedade

Idoso de 89 anos matou o genro devido a maus tratos em Torres Vedras

O crime remonta a 6 de julho de 2018

Um homem de 89 anos está acusado de homicídio qualificado depois de matar o genro. O idoso alega ter sofrido, tal como a mulher, acamada, agressões por parte do homem, de 60 anos.

De acordo com a acusação do Ministério Público, citada pela agência Lusa, o relacionamento do genro com o arguido e a mulher, que padecia de doença oncológica em fase terminal, “era pautado de grande agressividade verbal e mesmo física”.

O crime remonta a 6 de julho de 2018. Depois de uma discussão, o arguido terá ameaçado o genro de morte.

Depois do genro se ausentar da habitação onde os três moravam no Furadouro, concelho de Torres Vedras, o homem “formulou o propósito de o matar”, tendo ido buscar uma caçadeira, que pertencia á vítima, e municiando-a de dois cartuchos. Depois disso, segundo a acusação, o arguido sentou-se à entrada da residência, encoberto por um muro, a vigiar o portão do quintal da casa à espera do genro.

Por volta das 21h00, o genro regressou e o homem “levantou-se, empunhou a caçadeira e, sem trocar uma palavra, apontou a arma ao seu peito e disparou dois tiros, atingindo-o no punho direito e peito do lado direito”.

O genro acabou por cair inanimado no chão e viria a morrer devido a lesões no tórax.

A GNR acabou por ser chamada ao local e deteve o homem que acabou por confessar o crime.

O arguido, que se encontra em prisão preventiva, está acusado de um crime de homicídio qualificado e outro de detenção de arma proibida e pode ser condenado também a uma pena acessória de interdição de detenção, uso e porte de armas.

O Crime de violência doméstica do genro em relação aos sogros foi arquivado parcialmente por decisão do Ministério Público.

A medida de coação de prisão preventiva foi reavaliada para que o arguido possa ser institucionalizado num lar a aguardar julgamento.