Internacional

FBI investigou Donald Trump para saber se trabalhava para a Rússia

A possibilidade de o presidente estar a trabalhar com Moscovo, mesmo de forma inconsciente, foi questionada pela autoridade federal

O despedimento de James Comey, diretor do FBI, foi o ponto de partida que levou o FBI a iniciar uma investigação a Donald Trump, em maio do ano passado. A possibilidade do presidente norte-americano ter trabalhar secretamente para a Rússia estava agora em cima da mesa.

Segundo o The New York Times, que cita fontes próximas da investigação, os agentes do FBI levantaram a dúvida sobre a possibilidade de Trump representar uma ameaça à segurança nacional dos Estados Unidos. A possibilidade de estar a trabalhar em nome do Kremlin, mesmo de forma inconsciente, foi investigada por uma equipa liderada pelo procurador-especial Robert Mueller. Recorde que Mueller faz também parte do inquérito sobre a interferência de Moscovo nas eleições presidenciais de 2016.

Para além da influência russa, Trump estava a ser investigado também por obstrução à justiça, devido, precisamente, ao despedimento de Comey que, na altura, estava a investigar as ligações de Michael Flynn, o conselheiro nacional de Trump, ao governo de Putin.

O advogado de Donald Trump, Rudy Giuliani, desvalorizou a investigação do FBI. “O facto de que tem um ano e meio e não há nenhuma indicação de que tenha havido uma violação da segurança nacional significa que eles não encontraram nada”, disse ao The New York Times.