Internacional

Ministro alerta para sequestro do Brexit pelo parlamento

Liam Fox diz que deputados estão a agir contra o povo 

dr  

“O parlamento não tem o direito de sequestrar o processo do Brexit porque o parlamento disse ao povo deste país: ‘Fazemos um contrato convosco, vocês tomam a decisão e nós honramos essa decisão’”, afirmou o ministro do Comércio Internacional, Liam Fox, em declarações à BBC. Para o ministro, o acordo negociado pelo governo com Bruxelas continua a ser a melhor solução para o Reino Unido e não respeitar o resultado do referendo de 2016 ou convocar um novo referendo é quebrar esse contrato.

“O que temos neste momento é que alguns dos que sempre se mostraram contrários ao resultado do referendo estão a tentar sequestrar o Brexit e efetivamente roubar o resultado ao povo”, acrescentou Fox, que sempre defendeu a saída da UE.

Depois de ver o seu acordo chumbado pela Câmara dos Comuns, na pior derrota parlamentar de um governo em exercício na história moderna do Reino Unido (432 deputados votaram contra e apenas 202 a favor), a primeira-ministra Theresa May tem de apresentar hoje um plano B para uma saída ordenada da UE antes do prazo de 29 de março, algo que cada vez parece mais difícil.

Ontem, o gabinete de May mostrou-se “extremamente preocupado” com a possibilidade de os deputados poderem hoje suplantar-se ao poder executivo e introduzir emendas à declaração da primeira-ministra na Câmara dos Comuns que possibilitem o adiamento da saída do Reino Unido da UE, algo que a líder britânica tem recusado liminarmente. O conservador Nick Boles e a trabalhista Yvette Cooper estão a trabalhar numa emenda para alterar as regras de calendário do parlamento, o que permitiria abrir caminho para a sua proposta de lei de alargamento do prazo do artigo 50, caso não haja um acordo para o Brexit.