Sociedade

Mau tempo provoca cerca de 100 ocorrências no país

Porto é o distrito mais afetado. Em Coimbra uma derrocada cortou uma estrada. Acessos à Serra da Estrela estão encerrados. E em Sintra ocorreu um deslizamento de terras na Tapada das Mercês.

A Proteção Civil registou cerca de 100 ocorrências, como quedas de árvore e estruturas, movimento de massas e inundações, entre as 00h04 e as 9h35 devido ao mau tempo, em vários distritos do país, sendo o do Porto o mais afetado.

Uma derrocada cortou uma estrada entre Coimbra e Penacova. Em Sintra, na Tapada das Mercês, deu-se um deslizamento de terras durante a madrugada desta sexta-feira.

Ao todo, o site da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) dá conta de 97 ocorrências até às 9h35, tendo sido mobilizados 253 operacionais, com o apoio de 112 veículos.

Às 9:35, estavam oito ocorrências em resolução, 81 em curso e seis em conclusão. O distrito do Porto, como 57, era o mais afetado, seguindo-se Viseu (34), Aveiro (27), Coimbra (27), Viana do Castelo (15), Évora (16), Lisboa e Braga (13).

A maior parte das ocorrências diz respeito a quedas de árvores, movimento de massas, limpezas de via e sinalização de perigo, queda de estruturas temporárias ou móveis, de elementos de construção, desabamento de estruturas edificada e inundações de estruturas ou superfícies por precipitação intensa.

Na Serra da Estrela, o acesso ao maciço central foi encerrado, esta sexta-feira de manhã, devido à queda de neve e às condições meteorológicas adversas. Às 09:30, estavam encerrados os troços entre Piornos/Torre, Torre/Lagoa Comprida, Lagoa Comprida/Loriga, Lagoa Comprida/Cruzamento do Sabugueiro e Manteigas/Piornos.

Sublinhe-se que Portugal continental está a ser afetado pelos efeitos da depressão Helena, centrada a noroeste do golfo de Biscaia, Espanha.

Esta depressão vai afetar Portugal Continental em particular no que respeita ao vento e à agitação marítima na costa ocidental.

Está ainda prevista uma descida da temperatura, que associada ao vento forte aumentará o desconforto térmico. A Autoridade Nacional de Proteção Civil já emitiu um alerta para a possibilidade de cheias, formação de lençóis de água e gelo e quedas de árvore devido às previsões de chuva, neve, vento e agitação marítima para os próximos dias.