Sociedade

PJ encerra caso da morte de triatleta sem saber como é que o corpo foi transportado

Rosa Grilo será acusada do homicídio do marido, Luís Grilo

DR  

A Polícia Judiciária deu como terminada a investigação à morte de Luís Grilo e, de acordo com o Correio da Manhã, Rosa Grilo e o seu amante, António Joaquim, deverão mesmo ser acusados do homicídio do triatleta.

No entanto, a menos de duas semanas de terminar o prazo de o Ministério Público deduzir a acusação, há pormenores sobre a forma como o crime ocorreu que estão ainda por apurar. A forma como o corpo de Luís Grilo foi transportado está ainda por explicar, uma vez que este foi colocado, já depois de ter sido morto, num terreno próximo de Avis.

O CM escreve ainda que nos dois carros que pertenciam a Rosa Grilo não foram encontrados quaisquer vestígios do ADN de Luís Grilo. Por isto, a PJ acredita que Rosa Grilo teve tempo suficiente para conseguir limpar todos os vestígios que pudessem ter sido deixados, bem como o saco que o marido tinha na cabeça quando foi encontrado morto deve ter impedido que o sangue se espalhasse.

No entanto, apesar de restarem algumas dúvidas, a PJ acredita que a arma que foi apreendida ao amante de Rosa Grilo foi a que matou Luís Grilo.

Recorde-se que Rosa Grilo e António Joaquim são suspeitos da morte de Luís Grilo, que foi encontrado morto mais de um mês depois do seu desaparecimento em Avis, a 134 quilómetros de casa

O cadáver foi descoberto por um popular que alertou as autoridades e Luís Grilo estava sem roupa, com um saco de plástico na cabeça e com evidentes sinais de violência.