Sociedade

Empresário português acusado de matar a mulher é absolvido do crime de fraude

Carlos Pinto foi absolvido do crime de emissão de faturas falsas

O empresário português Carlos Pinto foi, esta quinta-feira, absolvido pelo Tribunal de Santo Tirso de crime de fraude. O empresário estava acusado da emissão de faturas falsas, mas o tribunal considerou não ter sido “produzida prova suficiente”.

Em causa estão transações realizadas em 2009 e 2010, entre a empresa de Carlos Pinto, a Iso FC - Isolamentos Técnicos Lda, com sede em Viseu - e a ALMEP, construtora de casas pré-fabricadas.

Depois de ter ouvido o Inspetor da Autoridade Tributária, a juíza concluiu “ter ficado com dúvidas sobre a existência de crime”.

Recorde-se que o empresário português foi já condenado a quatro anos de prisão efetiva, acusado de emitir 500 faturas falsas, num total de sete milhões de euros. Além disso, foi também acusado e condenado por retirar vantagens patrominais na ordem de um milhão e meio de euros em deduções com IVA, em sede de IRC.

O tribunal dispensou Carlos Pinto de assistir à leitura da sentença, uma vez que se iniciou hoje um julgamento em Pontevedra, Galiza, no qual o empresário é acusado de ter tentado matar a mulher num quarto de hotel, em Vigo.