Internacional

May tem de ter plano para o Brexit até amanhã

A primeira-ministra britânica está dependente da boa vontade dos líderes europeus para conseguir uma extensão da data de saída. Estes esperam no mínimo um esboço de um plano amanhã, na cimeira do Conselho Europeu

Por mais dividido que estejam os deputados britânicos quanto à saída do Reino Unido da União Europeia, a vasta maioria está de acordo numa coisa: qualquer que seja a decisão tomada irá afetar decisivamente a futuro das próximas gerações e do projeto europeu. E perante a necessidade de uma extensão do prazo de saída, após o chumbo do acordo negociado pela primeira-ministra britânica, Theresa May, o Reino Unido está dependente da boa vontade dos restantes líderes europeus, que terão de aprovar a extensão. Para tal, o plano britânico terá de ser clarificado "mais tardar na reunião de amanhã", na cimeira do Conselho Europeu, que decorrerá dia 20 e 21 de março, revelou à Reuters um alto cargo da União Europeia, em condição de anonimato. A instituição "espera que antes que os 27 chefes de governo europeus  iniciem as suas discussões, May se dirija aos líderes, esboce os seus planos e faça um balanço da situação".  

Para já, a expectativa é que May não peça uma extensão para lá da data de 30 de junho, de modo a que o Reino Unido não tenha de participar nas eleições europeias, dado que a tomada de posse dos novos eurodeputados será a 2 de julho. Perante o impasse que já se prolonga há meses, uma possibilidade que parece estar fora de questão é que sejam reatadas as negociações entre o executivo britânico e Bruxelas. "Não haverá renegociações, nenhuma nova negociação, nem garantias adicionais para além das já dadas", garantiu o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, em declarações à radio Deutschlandfunk, acrescentando: "Já nos aproximámos intensamente da Grã-Bretenha, não o podemos fazer mais".

Mesmo que o plano de May seja continuar a tentar ultrapassar o impasse no Parlamente britânico, algo que dificilmente parece possível, dado o grau de polarização quanto ao Brexit, os líderes europeus deram a May um prazo de até meados de abril para decidir se o Reino Unido participa ou não nas eleições europeus - o que irá permitir ou não uma extensão mais prolongada.