Vida

Conan Osíris pode ganhar, mas "o problema é se há um gajo mais estranho do que ele"

"As coisas estranhas é que ganham"

Salvador Sobral esteve esta sexta-feira no programa ‘Prova Oral’, da Antena 3, e além do lançamento do seu novo disco, o cantor falou também da sua vida pessoal e de Conan Osíris, o vencedor do Festival da Canção deste ano.

Questionado sobre a forma como conheceu a sua mulher, com quem casou no ano passado, o artista respondeu em tom de brincadeira: "Isso já não é para a prova oral, é para a prova privada. Eu depois conto (...)Foi no Tinder", brincou, acrescentando depois que não “tem smartphone” e que é o seu manager quem gere as suas redes sociais.

Acerca de Conan Osíris e de um possível boicote à Eurovisão, que este ano se realizará em Israel, Salvador Sobral garante que é preciso muita coragem “para não ir” e que o vencedor do Festival da Canção deste ano é um forte candidato à vitória do concurso.

"É preciso ter muita mais coragem para não ir do que para ir e ganhar. Acho que ele pode ganhar. Tem aquele fator estranho, impacto, fator choque... mais o bailarino. O problema é se há um gajo mais estranho do que ele. As coisas estranhas é que ganham. Na altura eu também era estranho para aquelas pessoas. Era diferente. O diferente é o que ganha ali, o que destaca", referiu.

Questionado se gosta da música de Conan Osíris, o vencedor da Eurovisão em 2018, admite que “não é” a sua música.

"Não é a minha música. Não compraria o disco do gajo, mas ele também de certeza que não ia comprar o meu disco. Deve achar uma chatice. Mas acho que pelo menos ele faz alguma coisa diferente, alguma coisa que impacta. A arte é isso", rematou.