Internacional

Nova Zelândia critica forma como Facebook respondeu ao ataque às mesquitas

“O vosso silêncio é um insulto ao nosso luto”. As palavras são do comissário para a privacidade da Nova Zelândia

O comissário para a privacidade neozelandês, John Edwards, partilhou com o jornal New Zealand Herald uma cópia de um e-mail que terá enviado aos executivos da rede social Facebook, onde critica a forma como reagiram ao ataque às duas mesquitas, que matou 50 pessoas.

“Seria muito difícil para vocês e para os vossos colegas sobrestimarem a crescente frustração e fúria que sentimos em relação à forma como o Facebook facilitou e não conseguiu mitigar a profunda dor e dano com a transmissão do massacre aos nossos colegas, familiares e compatriotas mostrado na vossa rede. O vosso silêncio é um insulto ao nosso luto”, pode ler-se.

De acordo com a Business Insider, John Edwards exigiu que fossem enviados os dados das contas dos utilizadores que partilharam o video do ataque, pedido que foi recusado pelo Facebook.

A justificativa chegou na voz da vice-presidente de política global, Monika Bicket, que declarou que esta rede social só facilita o acesso a informações à política quando existe “algo como ameaça iminente de violência”.