Sociedade

Mahe não abandona o 'pequeno' dono, nem no hospital

James é um rapaz de nove anos que sofre de autismo e que encontra em Mahe, o seu cão, a única fonte de tranquilidade

James é um rapaz neozelandês de nove anos que sofre de autismo. Não fala e recusa o contacto com toda a gente, incluindo com os familiares, exceto com o seu cão Mahe.

Os dois são de tal forma inseparáveis que até quando James está internado no hospital Mahe não sai do seu lado. Além de lhe fazer companhia, este labrador tem a capacidade de acalmar o rapaz em situações de crise. “O Mahe é o melhor amigo dele, é tudo para ele”, afirmou a mãe de James, citada pelo La Vanguardia.

O hospital abriu uma exceção e permitiu a permanência do animal na sala onde o menino foi submetido a uma série de exames que lhe causam ataques e Mahe aparentava preocupação desde que a criança apareceu anestesiada. “Só olhava para ele com verdadeira preocupação”, disse Michelle, a mãe do rapaz.

Até em pequenas situações do dia a dia o novo membro da família tem um papel importante. “Não podíamos sequer ir tomar um café. O James ficava muito nervoso e queria ir embora imediatamente. Mas quando o Mahe chegou, o James sentava-se com ele e ficavam à espera que terminássemos”, terminou a mãe.