Internacional

Militar neozelandês acusado de colocar câmara de vigilância em casa de banho

O militar colocou uma câmara de vigilância numa casa de banho na embaixada da Nova Zelândia nos Estados Unidos

O militar Alfred Keating viu esta quinta-feira confirmada em tribunal a acusação de que foi alvo. O homem foi condenado por um tribunal de Auckland por ter colocado uma câmara numa casa de banho na embaixada da Nova Zelândia nos EUA, segunda conta o New York Times.

A câmara terá sido colocada pelo oficial da marinha em 2017. Com esta descoberta, foi colocado um ponto final na carreira de quarenta anos do militar, que prestava serviço nas áreas de segurança e diplomacia.

Em tribunal, o advogado do militar afirmou que a câmara não lhe pertencia, mas após quatro horas e meia de deliberação, o júri deu como provadas as acusações.

A publicação sublinhas que não havia imagens guardadas no telemóvel do acusado, mas o inestigadores conseguiram comprovar que através do seu computador, o militar acedeu diversas vezes a imagens íntimas fornecidas pela câmara.

O homem está agora a aguardar sentença, que pode iplicar uma pena de prisão efetiva até 18 meses.