Opiniao

As três academias

A Escola Naval localiza-se em Almada, na denominada Base Naval de Lisboa 

As três academias

Continuando a falar do Ensino Superior Militar, vamos ver com mais pormenor a situação das três academias: Escola Naval, Academia Militar e Academia da Força Aérea.
A Escola Naval localiza-se em Almada, na denominada Base Naval de Lisboa. De acordo com o seu sítio na internet:
- Ministra 5 mestrados integrados em ciências militares navais, nas especialidades de Marinha, Fuzileiros, Administração Naval e Engenharias Navais (ramo Mecânica e ramo Armas e Eletrónica);  
- Por enquanto acolhe as licenciaturas no âmbito do ensino politécnico (Administração e Secretariado, Armas e Eletrónica, Mecânica, Fuzileiros, Informática, Mergulhadores, Hidrografia e Comunicações), mas essa incumbência passará brevemente para a UPM;
- Ministra formação militar-naval aos alunos que frequentam o mestrado em Medicina Naval na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa;
- Aloca alguns professores para cursos pós-graduados que são responsabilidade de outras instituições de ensino superior (que tutelam os cursos e conferem os graus académicos), com as quais estabelece colaboração;
- No ano letivo 2014/15 tinha 206 cadetes mais 30 alunos a frequentar o politécnico; dispunha de 140 docentes, dos quais 120 professores e 20 ‘especialistas de reconhecida experiência e competência profissional’. Considerando o número de cadetes e alunos do politécnico, a EN tem um rácio de 1,7 alunos por docente (professores e especialistas)!

A Academia militar localiza-se em duas cidades (!), Lisboa e Amadora. Os dados seguintes constam igualmente do seu sítio na internet:
- Ministra 10 mestrados integrados:
Ciências Militares nas especialidades de Infantaria, Artilharia e Cavalaria (Exército), e Segurança (GNR);
Administração Militar (Exército) e Administração da GNR;
Engenharia Militar, Engenharia Eletrónica Militar nas especialidades de Transmissões e Material, e Engenharia Mecânica Militar (Exército e GNR).
Todos têm a duração de 6 anos, decorrendo os primeiros 4 integralmente na AM e os 2 últimos no Instituto Superior Técnico (IST).
- Ministra o curso de formação militar complementar aos alunos que frequentam mestrados integrados em Medicina (na Universidade Nova) e em Medicina Dentária, Ciências Farmacêuticas e Medicina Veterinária (na Universidade de Lisboa);
- Realiza o mestrado em Guerra da Informação e o mestrado em Liderança, Pessoas e Organizações, destinados a alunos civis e militares;
- Aloca professores para a realização do doutoramento em História, Estudos de Segurança e Defesa (em colaboração com o ISCTE-IUL, que tutela o curso e confere o grau);
- No ano letivo 2016/2017 tinha 479 cadetes e dispunha de 120 docentes, entre professores e ‘especialistas de reconhecida experiência e competência profissional’;
A AM tem um rácio de 4 alunos por cada docente (professores e especialistas)!

A Academia da Força Aérea  localiza-se junto à Base Aérea N.º 1, em Sintra. Os dados seguintes constam também da internet:
- Ministra 5 mestrados integrados em Aeronáutica Militar, nas especialidades de Piloto Aviador, Administração Aeronáutica, Engenharia Eletrotécnica, Engenharia Aeronáutica e, Engenharia de Aeródromos.
O mestrado de Piloto Aviador é o único que decorre quase integralmente na AFA.
Os cursos das engenharias têm a duração de 6 anos, mas apenas 3 decorrem na AFA (mesmo assim as aulas são lecionadas maioritariamente por professores do IST), pois os restantes 3 anos já decorrem no IST.
Verifica-se uma situação idêntica com o curso de Administração Aeronáutica, pois, tendo a duração de 6 anos, 3 decorrem na AFA e 3 no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG);
- Ministra o curso de formação militar complementar aos alunos que frequentam o mestrado integrado em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa;
- Realiza o estágio Técnico-Militar Universitário, com a duração de um ano, a militares e civis destinados aos quadros técnicos de juristas e psicólogos;
- Não nos foi possível apurar quantos alunos frequentam a AFA nem o efetivo do seu corpo docente, apenas conseguimos apurar que tem 16 ‘especialistas de reconhecida experiência e competência profissional’.
Em 2017 houve 30 vagas a concurso, o que confirma que a AFA tem um número de alunos muito inferir à EN e à AM, pelo que é de esperar que o rácio de alunos por cada docente seja ainda mais impressivo.
Em Nome da Verdade, continuaremos na próxima edição. 
 

*Major-General Reformado
 

Os comentários estão desactivados.