Internacional

Moro perde pasta sobre lavagem de dinheiro para o Ministério da Economia

O Conselho de Atividades Financeiras deixa de ser da tutela da Justiça

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira, o texto base da medida provisória da reforma administrativa do Presidente Jair Bolsonaro que reestrutura o Governo.

Houve uma redução significativa no número de ministérios, de 29 passaram a 22, e foi transferido o Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), órgão responsável pelo combate de fraudes financeiras e de lavagem de dinheiro, das mãos do Ministério da Justiça e Segurança Pública para o Ministério da Economia.

A diferença de votos não foi grande, 210 deputados votaram contra a saída do Coaf do Ministério da Justiça, mas foram vencidos por 228 votos a favor. Desde janeiro que o Coaf estava entregue ao Ministério da Justiça, uma das primeiras medidas de Bolsonaro ao assumir o poder.

Frente a esta derrota, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, lamentou o resultado da votação. “Lamento o ocorrido. Faz parte do debate democrático. Agradeço aos 210 deputados que apoiaram o Ministério da Justiça e Segurança Pública e o plano de fortalecimento do Coaf”, afirmou depois da derrota, citado pela Veja.

A conclusão da votação ainda está dependente da análise das propostas de alteração do texto programada para esta quinta-feira.