Sociedade

São licenciadas duas clínicas por dia

Este ano já foram licenciadas 429 clínicas médicas e 339 consultórios dentários.

Oferta em saúde também gera procura e o setor privado continua a crescer. A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) revelou ao SOL que este ano, no primeiro semestre, foram emitidas ou confirmadas 1128 licenças de prestadores de saúde. Destas, 429 dizem respeito a clínicas ou consultórios médicos, o que, mantendo-se este ritmo de dois licenciamentos por dia, poderá ultrapassar o recorde de 868 licenciamentos em 2018. 

Outra das áreas que mais tem crescido é a medicina dentária, com o número de licenciamentos nos últimos anos a sugerir que abrem 55 clínicas por mês, valor que lá levou a Ordem dos Médicos Dentistas a mostrar apreensão. 
Os dados fornecidos ao SOL pela ERS revelam que a tendência dos últimos anos se mantém em 2019, com 339 clínicas ou consultórios dentários licenciados nos primeiros seis meses do ano.

A ERS esclarece que, sendo estes os números disponíveis, não se pode concluir que se trate tudo de novos espaços. Ainda assim, para um prestador abrir precisa sempre de obter licenciamento, pelo que é um indicador que permite comparações com os últimos anos. 

Mais terapias alternativas

Um setor que também parece estar a crescer é o das chamadas terapias não convencionais. Segundo os dados do regulador, este ano já foram licenciados 112 prestadores. 

No último ano, houve 281 licenciamentos neste setor, o que dá 23 novos espaços dedicados às terapias não convencionais por mês. Há ainda 75 licenciamentos referentes a centros de enfermagem e 191 postos colheita de patologia clínica e análises clínicas.

Em relação ao universo hospitalar, os dados da ERS revelam que desde 2014 foram licenciadas 11 unidades de obstetrícia e neonatologia (maternidades) e 63 unidades com internamento e bloco operatório, sendo que a trajetória tem vindo a desacelerar. 

Assim, este ano já abriu um novo hospital do grupo José Mello Saúde em Sintra, prevendo-se a criação de 500 postos de trabalho. 

O novo Hospital CUF Tejo, uma das maiores obras em Lisboa e para onde será transferido o polo hospitalar do grupo na Infante Santo, está em ultimação. 

No SNS, os cinco novos hospitais cujo lançamento foi prometido para esta legislatura – Lisboa Oriental, Évora, Sintra, Seixal e Funchal – ainda não estão em fase de obra. 

O Lisboa Oriental, um projeto anunciado há mais de uma década para absorver os hospitais que estão em antigos edifícios no centro da cidade, hoje integrados no Centro Hospitalar Lisboa Central, aguarda a conclusão do concurso público que vai atribuir a construção a um consórcio privado, prevendo-se o início da construção no próximo ano. 

O novo Hospital de Sintra, que será construído no Algueirão, está em fase de adjudicação de obra, revelou já este mês Basílio Horta. 

Sobre os restantes não há novidades.