Economia

Bruxelas saúda mudanças na Airbnb depois de exigir transparência

Comissão Europeia elogiou melhorias nas ofertas de alojamento. Plataforma já reagiu e promete continuar a melhorar.

Um ano depois de a Comissão Europeia ter pedido à Airbnb que melhorasse a transparência da sua plataforma, o serviço online de alojamento de curta duração acedeu e a Comissão Europeia não se esqueceu de agradecer.

“Em resultado das negociações com o Airbnb, a plataforma melhorou e esclareceu totalmente a forma como apresenta as ofertas de alojamento aos consumidores, o que está agora em consonância com as normas estabelecidas na legislação da UE em matéria de consumo”, revelou Bruxelas em comunicado. “Isto vem no seguimento do apelo feito pela Comissão Europeia e pelas autoridades de consumidores da UE em julho de 2018”, lê-se ainda na nota.

A Airbnb já reagiu aos elogios e divulgou uma nota na sua plataforma onde promete continuar a melhorar o serviço. “Continuamos empenhados em fazer tudo o que pudermos para criar uma plataforma confiável para a nossa comunidade e continuaremos a procurar formas de melhorar a nossa plataforma para os milhões de anfitriões e hóspedes em todo o mundo”, promete a empresa norte-americana.

A empresa explica ainda que, nos últimos meses tem feito várias “alterações na forma como os preços são exibidos” – algo que era exigido pela Comissão Europeia – prometendo deixar “mais claro para os clientes o valor pago por reserva”.
“Na Airbnb entendemos a importância da transparência para a nossa comunidade”, explicou a empresa e, nesse sentido, o objetivo é continuar a melhorar de forma a tornar as reservas “o mais simples e claras possível”.

Em 2018, a plataforma de alojamento gerou mais de 2000 milhões de euros de impacto económico direto em Portugal. A nível global, o valor ascende aos 86 mil milhões de euros.

Na lista dos países onde a Airbnb teve mais impacto, Portugal surge na 10ª posição.