Cultura

Portugueses vão cada vez mais ao cinema

Na era do streaming, os resultados parecem quase vir em contracorrente. Julho foi o melhor mês desde 2004.

Depois de ter sido noticiado que as plataformas de streaming ‘roubavam’ cada vez mais espetadores às salas de cinema, os mais recentes dados do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA) vêm mostrar precisamente o contrário – desde 2004 que os cinemas não recebiam tanta gente. Em julho, 1,777 milhões de pessoas foram às salas de cinema, o que representa uma subida de 28,5% face ao mesmo mês de 2018. São os números mais altos desde 2004, ano em que o ICA começou a divulgar mensalmente estes dados, que têm por base os dados de bilheteira.

Já nos dois meses anteriores as salas de cinema tinham registado, respetivamente, aumentos de 8% e 24%. E se juntarmos globalmente os resultados dos primeiros sete meses desde ano, as estatísticas mensais revelam uma subida de perto de 480 mil pessoas nos cinemas portugueses.

A somar ao número de espetadores, vêm as receitas – e julho de 2019 bateu também recordes neste campo: 9,7 milhões de euros, ou seja, um crescimento de 31,7% em comparação com o mesmo mês de 2018.

O Rei da bilheteira

Os resultados de julho têm uma alavanca de peso por detrás: o remake do clássico da Disney O Rei Leão, de Jon Favreau, estreado a meio do mês (18 de julho) e que já se tornou no filme mais visto do ano em Portugal.

Segundo as contagens mais recentes, o filme já foi visto por mais de 900 mil pessoas (921.429 espetadores, no final da semana passada) e aproxima-se da barreira do milhão, que em Portugal foi ultrapassada apenas por uma produção. Com estes números, O Rei Leão é o terceiro filme mais visto no país desde 2004.

Em segundo lugar, e por uma curta margem que deverá ser esta semana superada, surge o filme de animação Mínimos, (Minions, na versão original, de Pierre Coffin e Kyle Balda), lançado em 2015, e que foi visto por 939.693 pessoas. O filme mais visto de sempre nas salas de cinema portuguesas continua a ser Avatar, de James Cameron (2009), que é também o único filme exibido em Portugal – desde que o ICA disponibiliza estes dados – a ultrapassar a fasquia do milhão de espetadores. Na altura, Avatar foi visto por 1.207.749 espetadores e gerou uma receita bruta de quase sete milhões de euros. Na lista dos dez filmes mais vistos na última década no país surgem ainda títulos como Mamma Mia!, (Phyllida Lloyd, 2008), que recebeu a atenção de mais de 800 mil pessoas e está em quarto lugar. Em décimo lugar, surge o único filme falado português deste ranking dos dez mais: A Gaiola Dourada, de Ruben Alves (2013), que foi visto por mais de 760 mil espetadores.