Internacional

Kaycee e Geoffrey Lang. O casal que usou um boneco para falsificar uma gravidez e cometer fraude

Quando as autoridades iniciaram as buscas na residência dos arguidos, encontraram um boneco que simulava um recém-nascido e uma urna personalizada com o nome da criança que nunca existiu

 

DR
Kaycee e Geoffrey Lang DR
Baby shower de Easton DR

Kaycee e Geoffrey Lang, de 23 e 27 anos, respetivamente, organizaram um baby shower - em português, chá de bebé, um evento durante o qual se celebra uma gravidez - com o objetivo de apresentar o seu primeiro filho, Easton, aos amigos e familiares. No decorrer da festa, divulgaram ecografias e explicaram que o menor viria ao mundo no verão. A 3 de julho, anunciaram nas redes sociais que o menor tinha nascido pelas 15h11, no Conemaugh Memorial Hospital, no entanto, perdera a vida horas depois. Às autoridades norte-americanas, do Estado da Pennsylvania, o companheiro da mãe explicou que o bebé tinha "fluido nos pulmões e problemas cardíacos", afirmando que não tinha estado presente no parto e que o filho tinha sido cremado na Hindman Funeral Home.

A verdade é que Kaycee tinha pedido aos ente-queridos para não a incomodarem na medida em que necessitava de passar as semanas finais da gravidez acamada. "Os pais do Easton foram abençoados durante cinco horas até que ele partiu para o céu pelas 18h20. Deram-lhe as mãos, abraços e beijinhos" podia ler-se no obituário publicado no Tribune-Democrat da cidade de Johnstown. Após o falecimento do bebé, Kaycee e Geoffrey criaram uma página de angariação de fundos, para cobrir os custos do funeral, na plataforma GoFundMe: receberam cerca de 550 dólares (495 euros).

Mas há quem tenha desconfiado desta história: Cynthia Dilascio, amiga dos progenitores, contactou a casa funerária onde Easton fora cremado e percebeu que não tinha existido o funeral de nenhuma pessoa cujo nome fosse Easton Walt Lang. "Sabia que alguma coisa não estava certa", afirmou a fonte citada pelo Pittsburgh Action News 4, sendo que a investigação foi iniciada pela polícia devido à sua denúncia. Ao órgão de informação anteriormente referido, uma porta-voz da GoFundMe assegurou que a empresa "colaborará totalmente com as forças de segurança no decorrer da investigação e que os donativos serão reembolsados a quem os realizou".

Quando as autoridades iniciaram as buscas na residência dos arguidos, encontraram um boneco que simulava um recém-nascido e uma urna personalizada com o nome da criança que nunca existiu. Agora, Kaycee e Geoffrey estão acusados de roubo por terem obtido prendas no baby shower de forma enganadora e de fraude. O julgamento dos criminosos começará em outubro.