Economia

Galp à procura de ideias na mobilidade elétrica e renováveis

A ideia é “ter exposição a essas novas tecnologias, novos possíveis parceiros, muito na vertente de ‘startups’ ou empresas de nicho para resolver problemas concretos que possamos ter”. 

A Galp vai participar no Global Summit da Singularity University, em São Francisco, com olhos postos em novas ideias e áreas alternativas à exploração de petróleo.

A ideia é “ter exposição a essas novas tecnologias, novos possíveis parceiros, muito na vertente de ‘startups’ ou empresas de nicho para resolver problemas concretos que possamos ter”, disse o responsável pela área das tecnologias (CIO) da empresa.

O Global Summit decorre de 19 a 21 de agosto e é o evento anual da Singularity University, uma escola de inovação criada em Silicon Valley pelos futuristas Ray Kurzweil e Peter Diamandis que se foca nas tecnologias exponenciais e tem vários 'chapters' espalhados pelo mundo, incluindo Portugal.

"Aquilo que a Galp e a maioria dos concorrentes estão a olhar é como podemos ter um portefólio de produtos e serviços que seja maior do que aquilo que temos", afirmou Nuno Pedras, acrescentando: "Isto não vai ser de hoje para amanhã nem daqui a cinco ou dez anos, mas vai haver uma aceleração do investimento na mobilidade elétrica".

O responsável ressalvou, no entanto, que a Galp vai continuar a investir para ampliar o portefólio "e não pensando que algo vai desaparecer de imediato", porque manterá investimentos fortes também nas outras áreas.

No evento em São Francisco, Nuno Pedras pretende trabalhar em novas parcerias e procurar empresas com as quais possa ser feita a alavancagem de inovações incorporando o legado existente.

"Nós temos definida uma estratégia de 'analytics' e estou interessado em ver dentro dela quais são os parceiros e o que se está a fazer de melhor por aí fora", referiu.

A ideia é "ter exposição a essas novas tecnologias, novos possíveis parceiros, muito na vertente de 'startups' ou empresas de nicho para resolver problemas concretos que possamos ter".