Internacional

Mãe fingiu durante sete anos que filho era doente e levou-o mais de 300 vezes ao hospital

"Abusos médicos são desvalorizados todos os dias. Agora é tempo de seguir em frente e garantir que nenhuma criança sofre os abusos que o meu filho sofreu", afirmou o pai do menor. 

Kaylene Bowen Wright foi acusada de submeter o seu filho a tratamentos médicos desnecessários. Desde os 11 meses de idade até aos seus oito anos, Christopher visitou 320 vezes insitutições hospitalares e foi submetido a várias intervenções cirúrgicas e tratamentos médicos em vão.

Uma equipa de especialistas médicos acabou por se aperceber da situação durante uma dessas visitas, em 2015, e acabou por fazer queixa de Wright, que foi detida em 2017 e Christopher ficou ao cuidado do pai.

Ryan Crawford já tinha acusado a mulher várias vezes de fazer o filho de ambos passar por abusos médicos. “Abusos médicos são desvalorizados todos os dias. Agora é tempo de seguir em frente e garantir que nenhuma criança sofre os abusos que o meu filho sofreu", afirmou, após a confissão da ex-mulher em tribunal.

A mulher de 35 anos é acusada de comportamento imprudente que causou danos a um menor e pode ser condenada até 20 anos de prisão. A sentença será conhecida em outubro do ano presente.