Internacional

OCDE alerta para "desfasamento entre políticas públicas e a ambição climática”

Segundo a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico), não será possível combater as alterações climáticas sem dar atenção aos países em desenvolvimento.

A OCDE declarou esta terça-feira que o combate às alterações climáticas será inútil se não houver investimentos nos países em desenvolvimento.

Em declarações à Lusa, o diretor-geral de Desenvolvimento e Cooperação da OCDE disse que “por mais que seja a ambição dos países mais ricos com as metas para a redução do aquecimento global, não será possível combater as alterações climáticas sem dar atenção aos países em desenvolvimento”. A organização alerta ainda para o facto de que daqui a dez anos poderá haver mais 100 milhões de pobres.

Jorge Moreira da Silva acrescentou ainda que “há um desfasamento entre políticas públicas e a ambição climática”, e que estas são “duas caixas” que não podem continuar a estar separadas. É preciso que haja, no seu entendimento, um investimento de sete mil milhões de dólares (cerca de 6,3 mil milhões de euros) para que se consiga atingir a meta de redução de temperatura global em 1,5 graus – dois terços dos quais é preciso investir em países em desenvolvimento, para que possam “corrigir as falhas”.

Mas não é só o investimento, “novas metas e ambições” que são necessárias para reduzir a temperatura global. “É necessário trazer coerência aos investimentos e intenções”, acrescentou, dando o exemplo das linhas de crédito para a produção e consumo de energia de fontes não renováveis a nível mundial, que aumentou de 12 para 46 mil milhões entre 2010 e 2016.