Internacional

Tribunal espanhol condena madrasta de Gabriel Cruz a pena perpétua

Ana Julia Quezada torna-se assim a primeira mulher a ser condenada a prisão perpétua em Espanha.

 

DR  

A madrasta de Gabriel Cruz foi condenada a prisão perpétua, passível de revisão, esta segunda-feira. O Tribunal Provincial de Almeria já tinha condenado, no passado dia 20 de setembro, a dominicana. Ana Julia Quezada torna-se assim a primeira mulher a ser condenada a prisão perpétua em Espanha.

Esta segunda-feira, o tribunal decidiu que a mulher era autora do assassinato “com a circunstância agravante de parentesco”. Terá ainda que pagar uma indemnização de 250 mil euros a cada um dos pais, por danos morais.

Nos próximos 30 anos, está proibida de residir no município de Níjar, onde moram os pais de Gabriel Cruz, não podendo também aproximar-se a menos de 500 metros de qualquer um dos pais.