Economia

BdP. Rentabilidade das empresas desce

Banco de Portugal revela que as empresas pioraram no segundo trimestre deste ano.

A rentabilidade do ativo das empresas não financeiras fixou-se nos 7,7% no segundo trimestre deste ano, um valor que é idêntico ao verificado no trimestre anterior mas inferior aos 7,9% registados no final do ano passado.

Os dados, divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal, revela que, em comparação com o final de 2018, a rentabilidade das empresas desceu nos setores das indústrias, eletricidade, gás e água, do comércio e dos outros serviços.

“Os setores da construção, dos transportes e armazenagem e das sedes sociais apresentam aumentos no mesmo período. As empresas públicas apresentaram uma redução da rendibilidade de 0,1 pp, para 5,4%. Por classe de dimensão, a rendibilidade das PME4 não se alterou, situando-se nos 6,8%, e a das grandes empresas diminuiu 0,7 pp, para 9,7%”, lê-se na nota do Banco de Portugal.

No que diz respeito à autonomia financeira, esta fixou-se nos 38,0%, um aumento de 0,4 pontos percentuais quando comparado ao final do ano passado. “Este aumento foi transversal à maioria dos setores de atividade económica com exceção dos setores da eletricidade, gás e água e das sedes sociais que apresentaram reduções de 0,1 e 0,4 pp, respetivamente”, explica o banco central.

No setor da construção a autonomia financeira não se alterou. O peso dos financiamentos obtidos no ativo diminuiu 0,2 pp, para 33,8% no final do segundo trimestre do ano.

Já o custo do financiamento foi de 3,2%, valor inferior ao registado no trimestre homólogo (3,4%) e igual ao registado no final de 2018.