Internacional

Serial killer diz que matou pessoas porque "Deus precisava delas" para "guerra entre anjos e demónios"

Homem foi detido após várias horas de confronto com a polícia.

Um homem, de 35 anos, foi detido esta terça-feira à noite, após um violento confronto policial, por ser suspeito da morte de, pelo menos, três pessoas, no Tennessee e na Flórida, nos Estados Unidos.

De acordo com o Washington Post, que cita fonte policial, o suspeito, Stanley Eric Mossburg, “queria ser um serial killer”. Depois de ser detido, o homem descreveu-se como um profeta e disse que as suas vítimas foram escolhidas por Deus para lutar numa guerra entre “anjos e demónios”.

"Estou a fazer o que Deus me diz para fazer. Vocês verão Deus e haverá uma luta de anjos e demónios por parte de Deus”, disse em declarações aos jornalistas, após a detenção, afirmando ainda que matou as vítimas porque "Deus precisava delas".

“Ele disse que gosta de matar pessoas", afirmou o xerife do condado de Polk Grady Judd, acrescentando ainda que as declarações do suspeito sugerem que este padece de possíveis doenças mentais.

As autoridades revelaram ainda que o suspeito afirmou que as duas últimas vítimas eram na verdade as suas sétima e oitava vítimas. No entanto, não há evidências de que as afirmações do suspeito, que disse querer matar onze pessoas, fossem verdade.

Durante a detenção, que resultou da denúncia de uma pessoa que conseguiu fugir depois de Mossburg matar os seus dois colegas de quarto, o suspeito abriu fogo contra a polícia, num confronto que durou várias horas.

O homem vai agora enfrentar várias acusações, desde homicídio qualificado a homicídio na forma tentada, assalto à mão armada, como também acusações por resistência às autoridades.