Sociedade

Médico que não detetou malformações graves em bebé suspende realização de ecografias

Obstetra comunicou decisão

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, informou, esta terça-feira, que o médico Artur Carvalho, obstetra envolvido no caso de Rodrigo – o bebé que nasceu com malformações graves, em Setúbal – vai suspender a realização de ecografias na gravidez até à conclusão dos processos em análise no Conselho Disciplinar do Sul da Ordem dos Médicos.

"Perante o alarme social causado pelas notícias dos últimos dias e tendo em consideração que os prazos processuais nem sempre vão ao encontro da urgência exigida nestas situações, tomei a iniciativa de contactar diretamente o Dr. Artur Carvalho. Na sequência dessa conversa, o médico comunicou-me a sua decisão de suspender no serviço privado e público a realização de qualquer tipo de ecografia obstétrica, até que os processos sejam concluídos pelo Conselho Disciplinar Regional do Sul", disse o bastonário em declarações à agência Lusa.

De acordo com o Correio da Manhã, o médico Artur Carvalho cancelou todas as cirurgias que tinha agendadas no Hospital de São Bernardo, em Setúbal, e meteu baixa.

Recorde-se que esta terça-feira está marcada uma reunião do conselho disciplinar do Sul da Ordem, pelas 18h00, sobre os casos que envolvem o médico.

No fim de semana, o responsável por este órgão adiantou que serão avaliados cinco processos disciplinares, que antes deste caso já estavam em curso contra o obstetra, não revelando detalhes sobre os mesmos. O processo mais antigo em instrução remonta a 2013, tendo-se seguido queixas em 2014, 2015, 2017 e já este ano. Com a participação feita pela família, o conselho já terá assim em mãos informação clínica sobre o caso de Rodrigo.

Recorde-se que o recém-nascido, a quem os médicos deram poucas horas de vida, permanece internado no Hospital de São Bernardo, em Setúbal, com um prognóstico muito reservado e a família está a receber apoio psicológico. No entanto, o bebé, que já consegue respirar sozinho e tem sido alimentado sem recurso à sonda, tem surpreendido os médicos.

Rodrigo nasceu com malformações graves no rosto e no crânio, depois do nascimento os especialistas confessaram que a possibilidade do bebé sobreviver era muito baixa, mas a verdade é que o menino já completou duas semanas de vida.