Internacional

Discurso. Lula da Silva diz estar pronto para combater o "lado podre da democracia"

O ex-presidente brasileiro esteve preso durante 580 dias em Curitibia e vai, agora, aguardar julgamento em liberdade.

Lula da Silva foi libertado, esta sexta-feira, da prisão onde está desde abril de 2018. O ex-presidente brasileiro falou, à saída, aos milhares de pessoas que o esperavam à porta do estabelecimento prisional.

"Queridos companheiros e queridas companheiras vocês não têm dimensão do significado de eu estar aqui junto com vocês. Eu, que a vida inteira, estive conversando com o povo brasileiro... Eu não pensei que no dia de hoje eu poderia estar aqui conversando com homens e mulheres que durante 580 dias gritaram aqui "Bom dia, Lula", gritaram "Boa tarde, Lula", gritaram "Boa noite, Lula".

Não importa que estivesse chovendo, não importa que estivesse quarenta graus, não importa que estivessem zero graus. Todos os dias vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para resistir. Para resistir à safadeza (...) que o lado podre do Estado brasileiro fez comigo e com a sociedade brasileira.

O lado podre do Ministério Público, o lado podre da Polícia Federal (...). Trabalhar para tentar crimininalizar a esquerda, criminalizar o PT. Eu não poderia ir embora daqui sem poder cumprimentar vocês. Primeiro, eu queria cumprimentar os companheiros que trabalharam aqui nessa coordenação, dia e noite".

Entre muitos nomes, Lula da Silva cumprimentou também "dois companheiros" que conheceu durante o tempo em que esteve preso. Os seus companheiros "de segunda a sexta" são dois advogados "que viraram irmãos". Apresentou também a filha e o neto e a "futura companheira".

"Vocês sabem que eu consegui ir preso, arranjar uma namorada e continuar que ela continuasse comigo. É muita coragem dela", brincou Lula.

Lula da Silva deu ainda os parabéns a quem teve a ideia de cantar "Massa Falida", a música que "usava para chamar trabalhadores quando faziam assembleia". No final do discurso, Lula acusou ainda o governo de tentar prender um homem e matar uma ideia. "Uma ideia não se mata, uma ideia não desaparece", acrescentou.

O ex-presidente do Brasil ficará assim a aguardar julgamento em liberdade depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter anulado a possibilidade de pris\ao a condenados de segunda instância, como é o caso de Lula.

A medida garante assim que Lula da Silva só possa ser preso após julgamento.