Economia

Digitalização do turismo pode valer no futuro mais 50 mil empregos no setor

Relatório destaca impacto do online no setor e conclui que 83% do alojamento disponível em Portugal já pode ser reservado pela Internet e gera 41% das vendas do setor.

A aposta na digitalização do turismo criou quase 50 mil postos de trabalho no setor em Portugal, entre 2012 e 2018, e pode criar mais 50 mil novos empregos, já nos próximos anos, de acordo com as conclusões do estudo da Oxford Economics, encomendado pela Google, divulgado esta terça-feira. Para tal, indica o relatório, é necessário um investimento na infraestrutura digital, nas competências digitais e numa maior atividade digital.

“Ainda existe uma oportunidade real de continuar a crescer o turismo português por meio do online. Isso pode incluir interações online aumentadas com potenciais viajantes por meio de canais preferidos de reservas e informações, além de maior alcance para novos mercados para Portugal e mais distante do país, como Estados Unidos, Brasil e China. As interações online podem estimular a procura e ajudar Portugal a ganhar participação de mercado dos concorrentes ”, explica David Goodger, Managing Director da divisão de Economia do Turismo da Oxford Economics. 

Segundo o estudo, “cada vez mais os viajantes procuram plataformas online antes, durante e depois das viagens, uma dinâmica na qual o conteúdo online é a fonte mais confiável de informações de viagens e cerca de 80% das viagens globais são influenciadas por esse tipo de conteúdos”. O relatório conclui que 83% do alojamento disponível em Portugal já pode ser reservado pela Internet e gera 41% das vendas do setor.

Ainda segundo o estudo, cerca de 61% dos viajantes fazem o download de aplicativos relacionados com a viagem que vão ou estão a fazer, enquanto 87% dos millennials dizem que seus smartphones são o item de viagem mais essencial. 

O estudo da Oxford Economics conclui que a percentagem de receita gerada pelo setor de alojamentos através do comércio eletrónico é maior do que na economia em geral, na grande maioria da Europa. Essa importância é ainda mais relevante em Portugal, onde cerca de 40% da rotatividade do setor de acomodações é contabilizada pelas vendas online, através de sites de negócios e outras plataformas, em comparação com apenas 18% em outros setores.